Na última dezena de anos tenho tratado o Pinhal do Rei como se do meu espaço de investigação privado se tratasse. Muitas horas de máquina fotográfica em punho, muitos quilómetros por aceiros e arrifes fora, tardes sem fim apenas com os pinheiros como confidentes.

Todos nós, quantos nos apaixonámos pelo Pinhal, nos podíamos dar a esse luxo. Ele era suficientemente vasto para ser  de cada um de nós, sem necessidade de o partilhar com alguém.

Mas a partilha também fazia parte do encanto. Cada um dos amantes do Pinhal podia dar, e dava, o seu contributo para a descoberta de novas facetas e segredos do Pinhal do Rei.

No dia 15 de outubro de 2017, roubaram-nos as nossas raízes de uma forma indecente. O Pinhal do Rei não voltará a ser o nosso espaço privado. Essa é uma era que terminou.

Tenho escrito muito sobre o Pinhal do Rei, quer antes quer depois do incêndio, mas o que de melhor fiz foi com a ajuda de muitas mãos. O site Pinhal do Rei é o meu (o nosso) singelo contributo para que este espaço seja descoberto por todos.

Close Menu