No que a borboletas diz respeito, o ano de 2017 não me foi muito proveitoso. Não sei dizer se por andar ocupado com outros assuntos, ou se o ano terá sido realmente fraco. De qualquer forma, ainda houve algumas novas adições à minha coleção de cromos fotográficos. 

Em jeito de resumo

Espécies diurnas

Hesperiidae

  • Muschampia proto
  • Thymelicus acteon
  • Thymelicus sylvestris

Nymphalidae

  • Coenonympha pamphilus
  • Issoria lathonia
  • Hipparchia semele
  • Hipparchia statilinus
  • Nymphalis polychloros

Lycaenidae

  • Aricia cramera
  • Cacyreus marshalli
  • Callophrys avis
  • Leptotes pirithous
  • Lycaena bleusei
  • Polyommatus icarus
  • Satyrium spini (novidade)

Espécies noturnas

Zygaenidae

  • Zygaena fausta

Lasiocampidae

  • Psilogaster loti (lagarta)

Saturniidae

  • Saturnia pavonia (lagarta)

Sphingidae

  • Hyles livornica (lagarta) (novidade)

Geometridae

  • Camptogramma bilineata
  • Lythria sanguinaria

Notodontidae

  • Harpyia milhauseri (lagarta) (novidade)

Erebidae

  • Artimelia latreillei (lagarta) (novidade)
  • Lymantria dispar (lagarta)

Noctuidae

  • Anarta myrtilli (lagarta)

Maio

Em maio, durante um fim de semana na zona de Castelo de Vide, fotografei meia dúzia de espécies. Muitas banais e algumas repetidas, mas também uma ou outra novidade, como foi o caso da Satyrium spini e das larvas de Artimelia latreillei e de Harpyia milhauseri. Já na Marinha Grande, encontrei uma população de Saturnia pavonia  e, bem perto desta, uma de Hyles livornica. Duas descobertas impressionantes, separadas por poucos dias e algumas centenas de metros.

Junho

Em junho, o único destaque vai para esta (sempre bela) Zygaena fausta, fotografada no Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros, junto a Rio Maior.

Zygaena fausta
Zygaena fausta

Julho

Em julho, também no Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros, desta feita no concelho de Torres Novas durante uma caminhada, avistei algumas espécies bastante comuns e um hesperídeo cuja identificação não é propriamente fácil. Em conversa com o Eduardo, concluímos que se tratará, provavelmente, de uma Muschampia proto.

Setembro

Em setembro, já depois da primeira grande vaga de incêndios ter assolado o centro do país, consegui fotografar junto a São Pedro do Sul algumas espécies relativamente comuns, mas também a pequena e sempre interessante Lycaena bleusei.

Outubro

Nos primeiros dias de outubro, em Linhares da Beira, ainda deu para avistar algumas espécies resistentes, a aproveitar os últimos dias de calor. É o caso desta Issoria lathonia, uma espécie que já não avistava há algum tempo.

Issoria lathonia
Issoria lathonia

Depois do triste 15 de outubro de 2017, nem a vontade nem as oportunidades de sair para fotografar voltaram a ser as mesmas. Veremos o que 2018 nos irá reservar.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close Menu