Infame terra!

Infame terra!

Transcrição de um assento do livro de óbitos de São Martinho do Porto, Alcobaça, 1666-1733, disponível no Arquivo Distrital de Leiria e, online, aqui.

Em os vinte e quatro dias do mês de Junho de mil seiscentos e setenta e cinco anos chegou nova certa que era falecido Gaspar Farto, mareante e morador que foi em esta vila, o qual, embarcando na Pederneira em um navio que Sua Alteza naquela ribeira mandou fazer, e indo acompanhado de uma fragata de guerra, que o comboiaria, sendo de fronte da Berlenga, os Turcos queimaram a fragata e capturaram o navio que levaram a Argel com trinta e cinco pessoas desta vila da Pederneira, entre os quais ia o dito Gaspar Farto que faleceu no hospital que os reis de Castela sustentam naquela infame terra para nele se curarem os pobres e aflitos (…) Este, dizem, faleceu com todos os sacramentos e está sepultado no cemitério do mesmo hospital. Deus lhe dê sua glória e a todos nós sua graça. Fui deito dei ut supra. António Coresma

Deixar uma resposta

Close Menu