Na nossa região, com diferença de poucas dezenas de quilómetros, podemos escolher percorrer ecossistemas que vão da aridez das dunas litorais e das serras calcárias às sombras amenas das galerias ripícolas que rodeiam os nossos rios e ribeiras. É certo que habitamos uma área muito humanizada, seja pela urbanização, pela agricultura ou pela proliferação dos eucaliptos mas, apesar de tudo, na sua próxima caminhada, não se limite a olhar. Esteja atento. Repare como a diferentes geologias corresponde uma vegetação diferente. Tome nota do que vai observando. Fotografe! Olhe agora para os insetos. Não, não se limite a olhar. Repare com atenção. Não são apenas “moscas”, “vespas e abelhas” ou “só borboletas”. Na nossa região há largas dezenas de belíssimas espécies de cada um destes grupos, algumas das quais são raras! É todo um mundo à espera que o descubram. Na sua próxima caminhada faça um safari fotográfico. Não desanime se a sua primeira borboleta voar para longe. Volte a tentar quando encontrar outra. Insista. Seja persistente. Não se limite a andar: envolva-se com a natureza. Porquê? Porque é preciso conhecê-la para aprender a amá-la. E é preciso amá-la para desejar protegê-la.

Este texto foi originalmente publicado no Guia dos Percursos Pedestres e de BTT, lançado com o Região de Leiria de 18 de Setembro de 2014

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close Menu