Ontem, num breve passeio pelo Pinhal em busca de borboletas, elas não colaboraram muito e o cansaço impediu-me de as perseguir. Optei, então, por me virar para motivos menos fugazes. Estas imagens revelam a explosão de cores que esta primavera tardia nos trouxe. Estão por aí, num campo perto de si!

Pequena ninfa de Tettigoniidae sobre uma flore de Cistus salviifolius
Pequena ninfa de Tettigoniidae sobre uma flor de Cistus salviifolius
Este Bombus pascuorum  era apenas um das centenas de insetos que pairavam sobre esta Vicia cf. benghalensis
Este Bombus pascuorum era apenas um das centenas de insetos que pairavam sobre esta Vicia cf. benghalensis
Silene sp.
Silene sp.
Halimium calycinum
Halimium calycinum, uma planta caraterística das nossas dunas litorais
Cistus salviifolius
Cistus salviifolius, uma das flores mais comuns do nosso Pinhal
Vinca sp.
Vinca sp.
Simethis mattiazzi
Simethis mattiazzi, outra flor que surge um pouco por todo o Pinhal
cf. Philodromidae
Uma pequena aranha da famíia Philodromidae: Philodromus cespitum
Asilídeo sobre Cistus
Um asilídeo sobre Cistus salviifolius
Uma fêmea de Sphaerophoria sp. sobre Halimium calycinum
Uma fêmea de Sphaerophoria sp. sobre Halimium calycinum
Arctotheca calendula: uma flor exótica.
Arctotheca calendula: uma flor exótica.
Aspeto geral. O Pinhal do Rei e o arrife 8.
Aspeto geral: o Pinhal do Rei e o arrife 8.

Um agradecimento final ao Rómulo Arrais, ao Rui Andrade, ao Francisco Barros e ao Ricardo Silva pela ajuda na identificação de algumas espécies.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close Menu