Localização: Norte da Mata Nacional de Leiria, junto à Praia da Vieira.
Limitado a norte pelo aceiro exterior e pelo Rio Liz, a sul pelo aceiro A, a oeste pelo arrife 17 e a este pelo arrife 16
Área aproximada: 43 hectares.

Árvores

  • Acácia, Acacia longifolia (Andrews) Willd., uma invasora dispersa um pouco por todo o talhão mas, de forma mais marcante na região noroeste;
  • Medronheiro, Arbutus unedo Linnaeus; surge de forma meramente arbustiva, na zona sul deste talhão;
  • Pinheiro-bravo, Pinus pinaster Aiton, cuja média de idades ronda os 45 anos.
Acacia longifolia

Arbustos

  • Camarinheira, Corema album (Linnaeus) D.Don;
  • Giesta, Cytisus striatus (Hill) Rothm.;
  • Lentisco, Phillyrea angustifolia Linnaeus;
  • Saganho-mouro, Cistus salviifolius Linnaeus;
  • Tojo, Ulex sp.;
  • Urzes, Erica scoparia Linnaeus, Erica umbellata Loefl. ex Linnaeus,
    Erica australis Linnaeus e Erica lusitanica Rudolphi;
  • Halimium calycinum (Linnaeus) K.Koch.
Halimium calycinum
Erica umbellata
Erica umbellata

Herbáceas

  • Campainhas-amarelas, Narcissus bulbocodium Linnaeus;
  • Chorão-das-praias, Carpobrotus edulis (L.) L. Bolus (apesar de pouco dispersa pelo talhão, esta invasora depressa expandirá a sua área de distribuição caso não seja controlada);
  • Erva-canária, Oxalis pes-caprae Linnaeus (espécie exótica);
  • Erva-das-sete-sangrias, Lithodora prostrata (Loisel.) Griseb.;
  • Feto, Pteridium aquilinum (Linnaeus) Kuhn in Kersten (1879);
  • Gilbardeira, Ruscus aculeatus Linnaeus;
  • Jacinto, Hyacinthoides sp.;
  • Rosmaninho, Lavandula stoechas Linnaeus;
  • Salsaparrilha-bastarda, Smilax aspera Linnaeus;
  • Euphorbia sp.;
  • Pulmonaria longifolia (Bastard) Boreau.
Pulmonaria longifolia
Pteridium aquilinum
Euphorbia sp.

Fungos e líquenes

  • Cladonia rangiformis Hoffm. 1796
  • Parmotrema chinense (Osbeck) Hale & Athi
  • Scleroderma sp.
  • Usnea subfloridana Stirton

Artrópodes

  • Aranha tecedeira-de-cruz-cosmopolita, Araneus diadematus Clerck, 1757;
  • Escaravelho, coleóptero da família Chrysomelidae (possivelmente Timarcha sp.).

Aves

  • Guarda-rios, Alcedo atthis (Linnaeus, 1758), junto à margem do Liz;
  • Pisco-de-peito-ruivo, Erithacus rubecula Linnaeus, 1758.
O arrife 16

Ameaças

  • Presença de espécies invasoras (acácias, chorão-das-praias e erva-canária);
  • Fragmentação de habitats (estrada atravessa a zona sul do talhão no sentido este-oeste);
  • Pisoteio e destruição de vegetação (circulação de veículos motorizados no interior do talhão).

Ideias
O aceiro exterior, entre o Pinhal e o Rio é um excelente local para caminhadas, passeios de bicicleta e observação de aves. Durante o tempo em que percorri o talhão deu para perceber que as pessoas, sejam elas corredores solitários ou famílias com crianças, já o utilizam para esse fim. Incompreensivelmente, porém, este caminho (em terra batida), está aberto à circulação automóvel e por ali passam diariamente centenas de veículos motorizados. Bem sei que, com o encerramento da Ponte das Tercenas, esta é uma das poucas alternativas para circular entre a Praia da Vieira e a Praia do Pedrogão – mas não é a única!

Gostaria de ver este trilho definitivamente interdito a veículos motorizados e transformado numa atração para visitantes que desejam um contacto mais sustentável com o mundo natural. Para além da proibição da circulação automóvel, pouco mais seria necessário: talvez alguns bancos ao longo do percurso; uns cartazes com informação sobre a fauna e a flora presentes no local; eventualmente uns abrigos para observação de aves. Não é necessário, sequer, apostar em infraestruturas demasiado onerosas e complexas – afinal de contas, trata-se de uma área em leito de cheia e a possibilidade de irem um dia por água abaixo não se pode ignorar…

O pôr do sol junto à margem do Liz

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close Menu